Suzano lança venture capital com US$ 70 milhões

Publicação
A Suzano anuncia a criação da Suzano Ventures, o Corporate Venture Capital da companhia que terá US$ 70 milhões em recursos disponíveis para serem investidos em startups. A partir da iniciativa, a Suzano pretende acelerar o processo de Inovação aberta e se tornar uma plataforma global no estímulo ao empreendedorismo em torno de soluções para a bioeconomia com base na floresta plantada.

A prioridade neste primeiro momento será dada a startups e/ou empresas com inovações em negócios a partir de novas tecnologias e aplicações de biomassa celulósica, soluções que fomentem o uso de embalagens celulósicas, além de agtechs que acelerem a produtividade agroflorestal e a captura, mensuração e gestão do sequestro de carbono. Os aportes serão realizados em negócios em estágio inicial (Seed) e mais estruturados (Series A).  A Suzano Ventures também terá uma estrutura de programas de aceleração com equity para alavancar soluções que estejam em estágio laboratorial ou buscando validação comercial (pré-Seed).

Os investimentos selecionados estarão alinhados à estratégia de longo prazo da Suzano, que tem na Inovabilidade, ou seja, a inovação a serviço da sustentabilidade, uma alavanca importante para seu negócio. Ao mesmo tempo, aproximarão ainda mais a companhia do ecossistema de empreendedores que vislumbram fortalecer a bioeconomia a partir do desenvolvimento e aplicação de tecnologias de baixo carbono. A Suzano Ventures estará presente nos principais ecossistemas de inovação e poderá realizar investimentos em startups no Brasil e no exterior.

"O venture capital da Suzano é um instrumento de inovação aberta da companhia com o propósito de acelerar e construir a Suzano do futuro. Ela estará presente em diferentes mercados, com diferentes produtos e novas rotas tecnológicas. Acreditamos que, juntos com o nosso ecossistema, podemos fazer parte da renovação do modo de vida, a partir do desenvolvimento contínuo e acelerado de soluções na área de bioeconomia com base na biomassa florestal", afirma Julio Ramundo, Diretor de Negócios de Carbono e Corporate Venture da Suzano.

A Suzano tem investido em startups ao longo dos últimos anos com o objetivo de identificar novas avenidas de aplicação da biomassa de eucalipto. Entre os casos de sucesso está a empresa finlandesa Spinnova, responsável pelo desenvolvimento da tecnologia para a produção da primeira fibra têxtil sustentável do mundo desenvolvida a partir de celulose microfibrilada (MFC) de madeira — fibra de celulose reduzida a dimensões nano, fruto de inovação disruptiva.

O investimento inicial da Suzano na Spinnova foi de € 5 milhões e ocorreu em 2017, seguido por rodadas de aporte complementares até 2021, quando a empresa europeia abriu seu capital com um valor de mercado de € 390 milhões. Atualmente, está sendo construída a fábrica da Woodspin, joint venture entre a Suzano e a Spinnova, com previsão de produção da fibra para marcas têxteis globais ainda em 2022.

Agora, com a Suzano Ventures, a companhia pretende garantir maior agilidade na análise de projetos e startups com propostas e soluções às verticais e teses de investimento definidas. Para isso, contará com um time dedicado para sua operação, enquanto a governança para avaliação técnica e financeira dos targets de investimento incluirá especialistas de P&D da companhia, que já estão presentes em ecossistemas de inovação no Brasil, na América do Norte, na China e em Israel.

 

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009