Publicação
Saldo da balança comercial do setor de árvores cultivadas no Brasil cresce 38%

 

Produções de celulose e papel também registram aumento entre janeiro e setembro

 

Os números do Boletim Cenários Ibá revelam a tendência cada vez mais forte dos consumidores na busca por produtos sustentáveis para seu dia a dia. Segundo a publicação, a fabricação de celulose avançou 10,4% entre janeiro e setembro de 2022 com relação ao mesmo período do ano anterior. Já o papel, fonte para produção de embalagens, papel imprimir&escrever, papéis para fins sanitários, entre outros, cresceu 3,6% na mesma base de comparação. 

 

Com o aumento da consciência ambiental no mundo, também impulsionou a busca por produtos de origem renovável, biodegradáveis, recicláveis e com rastreabilidade. Deste modo, também foi possível identificar forte alta nas exportações de celulose, que alcançou 14,2 milhões de toneladas comercializadas internacionalmente (+23,1%), o que trouxe divisas de US$6,1 bilhões. Este foi um dos fatores que impulsionou o saldo da balança comercial do setor a totalizar US$7,8 bilhões (+37,9%).

 

“É importante analisar estes números relacionando com o movimento global em busca de uma economia verde. Estamos caminhando para a finalização da COP27, em que uma das discussões é a busca por soluções que auxiliem o mundo na rota da descarbonização. Os consumidores, especialmente os mais jovens, já estão demandando produtos sustentáveis e rastreáveis e, por isso, o setor de árvores cultivadas se mostra uma opção para o presente e para o futuro. Estes resultados dos anos de trabalho e planejamento das companhias de base florestal, que souberam ler esta tendência e já disponibilizam alternativas a itens de origem fóssil. Mas o setor não vai parar por aí. A celulose solúvel, nanocelulose e a lignina estão possibilitando com que o setor seja uma opção de matéria-prima ambientalmente amigável a outras indústrias como cosmética, alimentícia, automotiva, entre outras”, comenta Paulo Hartung, presidente executivo da Ibá.

 

Entre os países que mais compraram celulose brasileira, a China segue na dianteira, com a aquisição de US$ 2,3 bilhões do produto. A América Latina desponta como principal mercado das exportações de papel (US$ 1,5 bilhão) e painéis de madeira (US$ 173,1 milhões).

 

Confira a seguir os indicadores de desempenho do setor de árvores plantadas durante o terceiro trimestre de 2022, na 71ª edição do Cenários Ibá, boletim Indústria Brasileira de Árvores.

 

EDIÇÃO 71

 

Produção – Entre janeiro e setembro de 2022, a produção de celulose alcançou 18,5 milhões de toneladas (+10,4%). Já a fabricação de papel, no mesmo período, chegou a 8,3 milhões de toneladas (+3,6%), puxado por papéis para embalagem (+7,9%) e papéis para fins sanitários (+5,1).

 

Vendas Domésticas - As vendas de papel no Brasil nos três primeiros trimestres continuam estáveis, com total de 4,1 milhões de toneladas comercializadas dentro do país. Já painéis de madeira totalizaram 5,2 milhões de m³ vendidas internamente.

 

Exportações em volume - As exportações de celulose de janeiro a setembro de 2022 somaram 14,2 milhões de toneladas, crescimento de 23,1%. O papel totalizou 2,0 milhões de toneladas comercializadas com outros países no mesmo período, crescimento de 34,1%. Carvão vegetal somou 3 mil toneladas vendidas internacionalmente. 

Fonte: IBá

 

Esta publicação fala sobre
Para procurar por publicações similares, clique
nos temas acima ou nos textos listados ao lado.
Você também pode realizar uma pesquisa
no campo superior desta página.
Você pode ainda publicar seu comentário logo abaixo, assim como mandar sua sugestão por e-mail.


Participe, deixe abaixo os seus comentários.

Ajax Indicator
Ajax Indicator

Institucional

Conheça aqui a rede de comunicação da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel.

Contato

A ABTCP espera sua mensagem, seja para anunciar, enviar sugestões ou tirar dúvidas sobre nossas publicações.

O Papel | ABTCP | Todos os direitos reservados 2009